Publicado em Deixe um comentário

Como ter pensamentos positivos?

O pensamento positivo é algo que todo mundo em algum momento ou situação da vida já aplicou a fim de atrair coisas boas para si. Acredita-se que basta mentalizar profundamente aquilo que você deseja e virá para você, que as coisas darão certo.

O conceito de pensamento positivo ficou famoso pelos estudos sobre desenvolvimento pessoal de Norman Vincent Peale, que afirma como você pode superar qualquer obstáculo, interno ou externo, através da “ciência da fé”. Ele ensina que é possível eliminar os pensamentos negativos que causam medo, ansiedades e, consequentemente, fracasso e substituí-los pela magnetização do que se deseja através do poder do pensamento positivo.

Ou seja, no momento em que você deseja e pede alguma coisa, você deve acreditar, ou melhor, saber que aquilo já te pertence energeticamente. E assim, o Universo inteiro se arranja para materializar aquela coisa, atraindo e disponibilizando para você. Acreditar que certa coisa te pertence, abrirá caminho para que você possa conquistá-la.

Como já falamos em outros textos, nosso corpo é um gerador e receptor energético que interage com todos e tudo o que nos cerca. Portanto, ao mantermos nosso campo energético equilibrado e gerando coisas, atrairemos coisas. E entenda “coisa” como quiser, se você emite X, receberá X. Se emite a energia de um emprego bom, receberá um emprego bom. Se emite energia de inveja, receberá inveja. Se emite energia de amor, receberá amor.

Ao compreendermos essa natureza dos nossos corpos (e principalmente de nossa mente), fica mais fácil utilizar do pensamento positivo. A frase “orai e vigiai” se faz cada vez mais coerente pois, ao prestarmos atenção no que emitimos e, sempre que necessário, melhorarmos a mensagem enviada, podemos de fato alterar nossa realidade. Meditações, ancoragem e direcionamento na forma de pensar sobre a vida ajudam na tarefa de “chegar lá”. 

É inegável pensar que quem se manifesta positivamente se torna uma pessoa otimista que atrai coisas melhores para sua vida. Afinal, enxergar a vida com bons olhos e bom coração, torna as pessoas menos amargas e amarguradas.

Os otimistas mantêm em suas mentes seus objetivos de forma clara e traçam as melhores rotas para alcançá-los, criando sentimento de confiança em si e em seus planos estratégicos. Outro detalhe é diminuir o tamanho dos problemas, enxergando os empecilhos simplesmente como obstáculos a serem superados e não impeditivos. Se colocando numa posição de superioridade e não inferioridade em relação às adversidades da vida.

Pensar positivo é dizer para si mesmo: “Vai dar certo. Eu tenho as habilidades necessárias para isso. Vou fazer acontecer”. Ou “Treinei bastante e estou bem preparado para vencer esse desafio.” Ou “Tenho muita força de vontade e determinação. Vou conseguir manter meu foco nos próximos 30 dias.” Com o tempo, você irá acostumar sua mente a observar e redirecionar suas energias para resolução de problemas e apreciação do todo.

Se você irá atrair tudo o que deseja com os seus pensamentos positivos ou não, não é a principal questão. O importante de se pensar positivo é saber os benefícios que isso pode trazer para sua mente, seu corpo e sua alma. Ou seja, como isso pode influenciar no seu bem-estar.

Talvez, passar o dia pensando que você irá conseguir uma vaga de emprego não vá materializar a vaga na sua frente. Entretanto, isso irá te deixar mais confiante, mais feliz e mais determinado para se preparar para a entrevista. Ao contrário de que, caso estivesse pensando de forma negativa, poderia gerar uma ansiedade ou nervosismo desfavorável, podendo até causar a perda da oportunidade.

O segredo do pensamento positivo está em melhorar sua energia, levantar o seu astral, motivar suas atitudes e assumir um mindset de vitória. Consiste em acreditar que coisas boas podem acontecer pra você, que você é merecedor e que é totalmente possível conseguir o que deseja. 

Os neurocientistas concordam que o estado de ânimo pode, sim, influenciar o nosso organismo de várias maneiras. Afirmam, por exemplo, que os hormônios associados ao estresse têm grande influência na consolidação da memória e evitá-lo pode trazer muitos benefícios.

O pensamento positivo proporciona um grande aumento na autoestima, que é muito importante para manter sua mente sadia, prevenir e ajudar a tratar transtornos psicológicos. Além disso, você se sentirá capaz de assumir novas tarefas e desafios fora de sua zona de conforto.

Pensando de forma positiva, reduzimos também nossas crenças limitantes, que nada mais são que freios para o nosso sucesso. Basicamente, quando o pensamento positivo se torna um hábito, sua vida inteira tende a fluir de forma diferente — e, muitas vezes, mais saudável. 

Quando se coloca em prática a positividade em sua vida, tudo ao seu redor também mudará. O cérebro começa a trabalhar em um estado onde há mais hormônios do prazer fluindo pelo seu corpo e, por consequência, você melhora a saúde mental, se torna uma pessoa mais feliz e disposta a ir atrás do que almeja, melhorando até seus relacionamentos familiares e amorosos. 

As técnicas para botar em prática os seus pensamentos positivos são várias, e no fim, todas chegam a um padrão: encarar as situações do dia a dia de forma positiva. Peça ajuda para um Arcanjoterapeuta que, além de te ajudar a implantar o pensamento positivo em sua vida também te ajudará a acelerar a resolução das dificuldades internas e externas que possam estar te impedindo de desfrutar de boas coisas.

Escrito por: Equipe Arcanjoterapia

Publicado em Deixe um comentário

Como ter um Anjo da Guarda?

Na verdade, todos nós já temos um Anjo Guardião.Os Anjos são mensageiros de Deus, enviados para fazer a intermediação entre nós e Ele. São nossos tutores, estando nós encarnados ou desencarnados. Os Anjos também têm a função de nos comunicar sobre o andamento das questões que viemos resolver (karmas e missões) e, como devemos proceder cotidianamente para termos uma vida melhor, mais equilibrada e mais feliz.

Existe uma complexa hierarquia dos Anjos pois eles são incumbidos de regular tudo o que foi criado por Deus. Eles ordenam e ajustam a energia do Universo, são grandes orientadores das existências de todos os seres, não só do planeta Terra ou dessa dimensão em que vivemos. Os Arcanjos são os líderes, anjos principais da mais alta ordem na hierarquia celeste, são reguladores do Universo e cuidam para que a vontade divina seja cumprida.

Sabemos que só o conceito de Arcanjo é extremamente complexo e cabe muitas reflexões e aprofundamentos, por isso, manteremos a explicação de uma forma mais simples para facilitar a compreensão. Com o tempo abordaremos esses assuntos e seus desdobramentos com mais ênfase.

Abaixo dos Arcanjos têm os Anjos Comandantes que são especialistas em um aspecto da criação, correspondente aos aspectos do Arcanjo a que “reporta”. Abaixo, os Anjos Guardiões e os Devas. Devas são anjos que cuidam exclusivamente dos animais e da natureza. Já os Anjos Guardiões possuem uma segunda hierarquia. Existem os protetores do planeta, dos países, dos estados, das cidades, dos bairros, das ruas, das casas, das famílias e os pessoais.

Então, todos nós temos diversos Anjos Guardiões e somos inseridos e protegidos em grupos e individualmente. Os Anjos Guardiões Pessoais atuam em nossas vidas de forma mais ativa, eles fazem a conexão mais direta e profunda entre nós e nossa divindade interna, o nosso Eu Superior. 

Nosso Eu Superior é na verdade o nosso todo. A soma de toda nossa existência, de todo nosso conhecimento, experiências, dores, consciente, inconsciente, nossos corpos… Tudo! Essa parte nossa encarnada é somente uma parte do Eu Superior. Uma parte em expansão e em desenvolvimento. Nele contém todo o conhecimento e todas as nossas informações dessa e de todas as nossas outras experiências/vidas e também tem informações do nosso presente, passado e futuro. Então mesmo o que vamos fazer, o nosso “destino”, o que “está escrito” é algo que foi preparado e atraído pelo nosso Eu Superior, ou seja, por nós mesmos.

O nosso Eu Superior possui conexão direta com Deus por ser parte da nossa alma. O Anjo Guardião nos ajuda a nos conectar com esse Eu Superior e, consequentemente, com nossa essência e missão de vida. Nos guia no nosso dia a dia para concluir nossas missões pessoais. 

Falando em missão pessoal, vamos esclarecer uma outra coisa. Se a sua missão pessoal é, por exemplo, curar pessoas, o Anjo Guardião irá te guiar e te conduzir para que você abra seus campos mediúnicos para você receber essa informação divina e sutil, que chamamos de intuição, e assim, transformarmos no físico e nos aproximarmos dessa realidade da cura para exercermos nossa “vocação”. Intuição é receber a informação de Deus para entrar em contato com a sua verdade interior. Teu Anjo te ajudará, te guiará e te conectará com essa missão para você buscar e fazer escolhas que te aproximem dessa realidade. 

Você já tem seu Anjo Guardião! E você pode sim se conectar com ele e pode inclusive pedir sua orientação, principalmente nesses momentos em que temos dúvidas de quem verdadeiramente somos. 

Você pode fazer uma oração pedindo clareza mental e aproximação dele na sua vida. Pode acender uma vela branca (palito ou de 7 dias), assentar um cristal transparente ou branco para que crie essa conexão física entre vocês, ancorando a energia do seu Anjo Guardião na sua vida. 

Quando utilizamos um elemento físico para criar essa conexão, o Anjo Guardião consegue densificar a energia dele (que é super sutil) para que nós, que estamos materializados, consigamos senti-la e compreendê-la com mais nitidez.

Algumas pessoas inclusive acham errado acender vela para um anjo porque um anjo não precisa de luz, e elas estão corretas. Anjos não precisam de luz, mas NÓS precisamos! Nós precisamos de um “portal” para receber essa luz divina. Nós somos densos a ponto de não conseguir captar tão fácil essa luz. Precisamos apenas ampliar nossa “antena” para nos conectarmos com a energia maravilhosa deles.

Caso você queira intensificar sua conexão com seu Anjo Guardião e atrair a energia dos Arcanjos para sua vida, entre em contato conosco aqui e seja atendido por um Arcanjoterapeuta, temos certeza que sua vida vai mudar. 

Escrito por: Equipe Arcanjoterapia

Publicado em Deixe um comentário

Como ter menos crenças limitantes?

Você já parou para pensar que suas ações são, em sua maioria, processamentos inconscientes e não processos conscientes? Você não pensa ao respirar, piscar, beber água, comer… São ações automáticas que seu corpo já foi ensinado a repetir ao longo dos anos e existem diversas outras ações, atitudes e pensamentos que também são automáticas e instintivas.

E provavelmente você nunca se importou muito com isso. Mas quando chega o momento em que você quer mudar um comportamento, ou um hábito ou simplesmente quer fazer alguma coisa nova, parece que você sente dificuldade ou simplesmente não consegue fazer essa mudança. Seu corpo começa a criar “desculpas” e justificativas para que aquele comportamento não seja alterado, e é isso o que chamamos de Crenças Limitantes.

Elas nada mais são do que os “limites” que nosso corpo nos impõe baseado nas nossas repetições “comuns”, é o nosso padrão mental, ou seja, todas as programações neurais que aprendemos durante nossa vida, principalmente na primeira infância. Elas vão se reforçando ao longo de nosso desenvolvimento e são encaradas como verdades absolutas.

Esses tipos de crenças moldam seu modo de agir, seu mundo e as coisas que nele acontecem, pois funcionam como lentes de um óculos que formata a realidade conforme seus próprios preceitos. Sendo assim, as crenças acabam determinando os nossos comportamentos, as nossas atitudes e principalmente os nossos resultados.

Essa automatização do corpo é um processo natural e também saudável em alguns níveis, é uma função do nosso cérebro de produzir uma representação sobre tudo aquilo que vemos, ouvimos e sentimos, porém elas podem facilmente nos prejudicar no evoluir. 

Toda crença nasce quando nosso corpo busca as respostas mais adequadas para o momento que estamos vivendo, com uma intenção positiva de preservar e controlar nossa interação com o mundo. Porém, ao longo do tempo, algumas dessas crenças deixam de ter a função agregadora e acabam nos limitando, mesmo que com a intenção positiva. O fato é que, neste momento, essas conexões neurais já são fortes o bastante para ditar nossas respostas.

Na maioria das vezes, as crenças são falsas ou têm verdades parciais, mas o nosso cérebro está constantemente buscando padrões em experiências anteriores para se sentir seguro. E ele irá buscar esses padrões em nossas conexões neurais mais robustas.

Para identificá-las, um bom início é começar percebendo os padrões de respostas que você dá aos estímulos que recebe e as frases que diz repetidamente para justificar suas ações, ou a falta delas. Reflita sobre o que você gostaria de fazer ou mudar na sua vida, mas “não consegue”. Procure identificar as justificativas interiores para não fazer isso. Questione-se.

Essas respostas são “desculpas” que seu inconsciente te dá para que você não promova nenhuma mudança e permaneça com aquele comportamento já enraizado. Instalar novos comportamentos demanda abalar a segurança do seu cérebro e criar uma nova conexão neural.

Essa nova conexão deverá ser acessada repetidas vezes até se tornar mais forte e mais relevante emocionalmente que a conexão anterior, que, por sua vez, não deixará de existir e estará lá esperando que você a acesse novamente.

Aprendemos pela repetição, mas não adianta criarmos um hábito durante 21 dias, 100 dias ou quantos dias forem se a mudança proposta não nos faz sentir bem e realizados. Ou seja, se você não está completamente alinhado com o propósito da mudança, seu corpo facilmente voltará a se conectar com a conexão neural anterior.

Então, quando falamos sobre crenças limitantes, a palavra chave é ressignificar. É dar um novo sentido para algo. Buscar uma nova direção ou propósito. É transformar. Dar um novo significado para os acontecimentos e transformar crenças que estão dentro de nosso padrão e do nosso aspecto psíquico. Transformar crenças que nos limitam em crenças que nos estimulam e impulsionam, isso mudará radicalmente a experiência de cada ser humano, libertando a consciência individual. 

Aumentar a sua consciência é tão importante para gerar transformação pessoal para alcance de resultados. Cada pessoa tem um mapa mental, que é baseado nas suas experiências, conhecimentos e interpretações ao longo da vida. Mantenha-se vigilante e perceba a profundidade de cada pensamento. Descubra o que te prende e o que te move.

Use uma lupa em situações do trabalho, nos relacionamentos, na saúde ou naquela outra situação importante. Com mais consciência as decisões acabam sendo algo natural. Enfim, lidar e ressignificar as Crenças Limitantes é um diferencial, seu estado emocional muda, mas nem sempre conseguimos fazer isso sozinhos, portanto você pode considerar a ajuda profissional.  Entre em contato com um Arcanjoterapeuta para te auxiliar nesse momento de expansão da sua consciência.

Escrito por: Equipe Arcanjoterapia

Publicado em Deixe um comentário

5 dicas para ter inteligência emocional

A inteligência emocional é a capacidade de entendermos e avaliarmos os nossos próprios sentimentos para que, assim, consigamos agir com mais sabedoria e maturidade. A partir disso, podemos melhorar nossa comunicação, guiar nossas tomadas de decisão de forma mais assertiva e impactar positivamente em como nos comportamos perante a nós mesmos e ao outro.

Essa é, então, uma competência que nos assegura relacionamentos mais saudáveis, tanto pessoais como profissionais. Utilizando a gestão emocional, experiências negativas são resignificadas e tendemos a ter resultados melhores do que tomando decisões e atitudes impulsivas. Portanto, segue uma lista com cinco dicas para você aprimorar ou até desenvolver sua inteligência emocional:

Compartimentalize. Ou seja, separe suas emoções, seus pensamentos. Se organize e coloque em gavetas ou arquivos mentais cada sentimento e reflexão sobre cada assunto. Entenda seus limites e emoções, tenha consciência do que cada acontecimento gera no seu corpo. Não permita que um acontecimento afete ou interfira no outro.

Se ouvir e se entender facilita quando você precisa lidar com assuntos e questões cotidianas. O reconhecimento de onde vêm as emoções e o que elas trazem como informação também ajuda a compartimentalizar fatores estressantes para não deixá-los interferir em nenhuma outra parte da sua vida.

Relaxe. Existem diversas técnicas de respiração, relaxamento e meditação, mas no geral, quando alguma emoção te induz a agir de forma precipitada, não faça nada antes de controlar seu pensamento.

Respire fundo, inale e exale o ar vagarosamente até que você se acalme. Isso irá te ajudar a contornar emoções como ansiedade, preocupações, frustrações e raiva. Tire um tempo para você, dê uma pausa para caminhada, beber uma água, ouvir uma música relaxante. Aplique técnicas que ampliem seu senso de presença e gestão de emoções no aqui e agora. 

Outra coisa que pode ajudar é conversar com alguém de confiança em busca de orientação, é criada uma sensação de amparo onde as pessoas podem se ajudar quando as emoções entram em cena.

Tenha clareza dos pensamentos. É sempre bom criar consciência do que se passa dentro de si e estimular a auto análise para entender o que se passa nos próprios pensamentos e como o sentimento diante de determinada situação tende a afetar suas ações.

Não tome atitudes precipitadas. É fácil responder de maneira inadequada quando se sente raiva, mas provavelmente, você irá se arrepender disso depois. Portanto, nunca deixe que a raiva, a tristeza, ou qualquer outro sentimento bloqueie seus pensamentos. 

Para contornar ações impulsivas, é interessante estimular técnicas de autocontrole e percepção. Você pode, por exemplo, escrever o que está sentindo antes de agir (ou o que quer dizer para uma determinada pessoa) e ler em outro momento, quando estiver mais calmo. Assim, é possível observar as ideias com maior clareza para tomar melhores decisões.

Respeite e seja responsável. É importante tratar as pessoas da mesma maneira que você gostaria de ser tratado. Essa é a máxima do respeito e da empatia. Além disso, é preciso ter consciência de que é necessário se responsabilizar pela tomada de ações inadequadas em determinados momentos para, assim, lidar com elas. É possível sermos firmes e assertivos sem sermos, necessariamente, agressivos e gerarmos problemas maiores.

Caso você tenha sido agressivo ou grosseiro em algum momento, tome responsabilidade pela forma como agiu e peça desculpas pelo ocorrido. Afinal de contas, algumas vezes nossas emoções se sobressaem. E o melhor, nessas ocasiões, é ser humilde e dizer um simples “me desculpe, eu agi de forma impulsiva”.

O mais importante é você estar aberto e disposto a mudanças. Dedique-se a agir de forma diferente e permita que novos comportamentos sejam implementados na sua rotina. Não tenha medo de encarar suas dores de frente. Você conseguirá, num futuro próximo, ter mais auto controle e conhecimento sobre si mesmo.

Escrito por: Equipe Arcanjoterapia