Publicado em Deixe um comentário

Como ter Amor Próprio?

Primeiramente precisamos entender o que é amor próprio. Ele está diretamente ligado ao autocuidado e à consciência de que precisamos ter ações que nos ajudam a encontrar o equilíbrio do nosso corpo, da nossa alma e da nossa mente para nos compreendermos e assim nos amarmos em nossa totalidade.

Permitir um olhar menos crítico e mais acolhedor para termos mais carinho por nós mesmos. Ouvir cada detalhe do que nós somos, de onde viemos e para onde queremos ir. Fotos incríveis no feed, glamourização da nossa realidade, fazer máscara facial, tirar um tempo para praticar exercício e se conectar com seus cristais é incrível, mas exercer o autocuidado é tocar em questões muito mais profundas e às vezes chatinhas. É se dedicar e mergulhar em nós mesmos.

Se amar é algo muito mais complexo e cheio de engrenagens e todas elas precisam estar funcionando ou tentando funcionar para, de fato, construirmos uma autoestima verdadeira, que não inclui somente uma relação boa com o espelho, mas com a nossa saúde física, mental e emocional. Ter esse encontro com nossa intimidade e nossa individualidade é um processo árduo e doloroso.

Michel Foucault, um dos pensadores mais influentes do século XX dizia: “Cuidar de si mesmo é a real liberdade”. Ele acreditava que existimos para gerar autoconsciência e responsabilidade sobre a nossa própria vida e isso inclui, entre outras coisas, ter o discernimento para identificar os erros e os hábitos prejudiciais que temos ao longo da nossa vida e lutar para mudá-los e termos uma vida de realizações e plenitude.

Quando experimentamos buscar novas percepções sobre nós mesmos, ou seja, potencializar nossa autorreflexão, melhoramos nossas relações, não só com nós mesmos, mas também como nos comportamos perante aos outros e como nos sentimos em relação às coisas que queremos conquistar e ser.

O autocuidado é uma ferramenta poderosa para chegarmos ao amor próprio legítimo e para ver o mundo e nós mesmos de forma mais positiva, feliz e equilibrada. Reconhecendo erros, dores, tomando para si as responsabilidades sobre nós e, quando conseguimos mudar hábitos ruins, percebemos que somos capazes de nos transformar e transformar nossa realidade.

A energia de autocuidado é transformadora e, de fato, agente de mudanças. Autocuidado é entender os confortos e desconfortos da nossa vida, entender suas causas e escolher agir da forma mais positiva possível sobre essas questões. É fazer escolhas mais saudáveis para nós mesmos. Trazer para o consciente, pensar e refletir sobre pequenas coisas, sair do automático.

Se amar, se aceitar e se entender não tem a ver com se acomodar ou fechar os olhos para as escolhas ruins que podemos fazer para nós mesmos, muito pelo contrário, é olhar para elas e entender porque foi uma escolha ruim, porque tomou essa decisão e como melhorar numa próxima vez. Autoestima tem a ver com ser responsável. Escutar seu corpo, sua mente, seus sentimentos, entender e melhorar suas atitudes e comemorar cada conquista. 

Celebre cada vitória pois a cada passo que você dá para se aproximar desse amor próprio, é uma forma de se libertar do velho e se ver como guardião e protetor da sua preciosidade.

Se ame, se cuide.

Escrito por: Equipe Arcanjoterapia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *