Você tem buscado um equilíbrio entre o material e o espiritual? O que mais escutamos hoje em qualquer conversa é uma queixa constante de nossa falta de tempo, pois parece mais que tudo passa muito rápido. Há também uma pressão para estarmos sempre conectados. 

Materialidade

Não damos conta das notícias, dos e-mails, de dar respostas rápidas, de atender aos amigos, amores e familiares em todos os meios de comunicação possíveis. E ainda dar conta do trabalho e da vida. Sim, da vida, essa particular, individual e única que requer justamente tempo, espaço e silêncio para absorver e saborear. 

Mas quem disse que precisamos estar conectados o tempo inteiro? Respondendo mensagens 24 horas por dia e conectados a todos os acontecimentos do mundo?

Quando entendemos que não existe passado ou futuro mas apenas o agora, nossa percepção sobre a vida entra em perspectiva. 

Parece que a evolução tecnológica possui sua própria velocidade que não nos permite muita divagação. Porém a unicidade do presente é um conceito que não exclui a ideia de projeção e planejamento, apenas a intensa presença no agora.

Esse estímulo da reflexão sobre a vida que levamos, como e onde gastamos nossas horas, tanto as ideias de trabalho e lucro quanto do uso da internet e redes sociais, da autopromoção de conteúdo sobre nós mesmos, do prolongamento da expectativa de vida, nos fazem respirar fundo e nos prepara para um desafio intelectual e emocional.

Esse desafio é pensar e buscar uma luz para nosso desenvolvimento e percepção do uso que fazemos do tempo. Muitas vezes não paramos para pensar sobre e somos atropelados por uma rotina que parece não caber em nossas horas. 

Porém a boa notícia é que podemos  aprender a usar o tempo de forma ideal para o nosso crescimento.

Espiritualidade

 A Arcanjoterapia trabalha o lado espiritual dos seus problemas, justamente buscando esse equilíbrio da pressão externa com o bem estar.

Portanto, vamos considerar aqui a visão de espiritualidade desconectada com religiões. Em outras palavras, ver espiritualidade como saudar e honrar a preciosidade do agora, da presença e da existência. Da nossa, do outro e das coisas, como nossa casa, a natureza e tudo o que há.

A consciência é como uma lupa. Que amplia um pequeno pedaço, foca e detalha. Você acaba conseguindo ver com muito mais clareza, nitidez e foco o objeto. Enquanto não pegar a lupa, a imagem pode continuar embaçada, distante e distorcida.

Assim acontece em nossa realidade, a correria do dia-a-dia, os diversos compromissos e tarefas, acabamos no piloto automático, vendo apenas o que já estamos acostumados e condicionados a ver.

A lupa, ou o autoconhecimento, representa aquele momento que você se dedica a si. A observar o que realmente acontece e o que você realmente deseja. 

Então, buscar a espiritualidade é ter equilíbrio energético entre o seu corpo, sua mente e sua alma no dia a dia material da vida.

Você também pode gostar: